terça-feira, 17 de março de 2009

Razão e Emoçao

Muitas vezes vivemos colocando a razão acima de tudo.

Queremos sempre ter razão no que pensamos, como agimos, no que queremos e muitas vezes somos injustas com os outros e o pior, com a gente mesma.

Nos consumimos, nos martirizamos por acreditarmos que não devemos agir só com a emoção.

Devemos saber ouvir o coração, mas agir sempre com a razão.

É assim que nos ensinaram a viver e é assim que devemos agir, se quisermos ser felizes.

- Cuidado! Olhe o que você vai fazer... não deve nunca perder a razão.

- Se fizer isso vai perder a razão.

- Ta louca, quer perder a razão?- Não faça isso, não faça aquilo, vai se machucar.

- O coração é traiçoeiro. Quem não sabe separar razão de emoção mete os pés pelas mãos...

E assim vai.

Aiaiai, e nossos sentimentos, como ficam?

Ansiamos, desejamos nos sentir vivas. E a razão muitas vezes nos mata. Deixamos de pensar em nós mesmas e não nos permitimos ser felizes.

Penso que muitas vezes todo esse cuidado com a razão é sinônimo de medo, de insegurança, e deixamos a vida passar em preto e branco.

A razão e a emoção deveriam andar juntas. A razão deveria ser a aprovação da emoção e a emoção a razão da razão. Seria perfeito, não seria?

Nada como uma vez ou outra esquecer a tal razão e dar um tempo, por menor que seja para viver somente a emoção. Isso faz bem, rejuvenesce, alegra a vida, acelera o coração, alimenta a alma. Aumenta nossa auto-estima, massageia nosso ego. A gente se sente gente, se valoriza e se ama.

Quem nunca sonhou em se aventurar, em dar um passinho em falso? Quem nunca se sentiu tentada a, nem que seja por uma vez na vida, viver uma paixão, daquelas de tirar o fôlego? Experimentar o novo, o "proibido"? Quem nunca foi capaz dizer um "não" ou um "sim", mesmo sabendo que não deveria, dando vazão somente à emoção?

Acredito que todas nós.

Somos humanas, temos desejos, fantasias e sonhos. Temos o direito de realizá-los e sabemos disso. Mas a tal da razão está sempre ali, latente, nos cobrando discernimento, sensatez, cautela e nos chamando à realidade. E, muitas vezes, que realidade hein?

E, quando nos atrevemos a realizá-los o que acontece?

Muitas se sentem culpadas, se sentem pecadoras, a última das criaturas... Outras descobrem uma nova razão para viver e, não se contentando apenas em dar só um passinho começam uma longa caminhada...

Dessa vez ao encontro do seu verdadeiro Eu.

4 comentários:

*G!ll.. disse...

é verdade.. muitas vezes agimos com a razão e esquecemos o sentimento.. e só depois é que nos damos conta do que acabamos de fazer.. é quando vem aquela dor de ter agido sem pensar.. sofrimento causado pelo simples fato de agir com a razão...

Uma Anja... disse...

Obrigada Gill.

Seja bem vindo.

A razão muitas vezes nos torna "fantoches" da própria vida.

Quem se permite viver os sentimentos, acaba vivendo mais, e mais feliz, mesmo com todos os erros e tropeços que venham a cometer.

Penso que a razão so deve sobrepor a emoção quando nossa atitude venha a prejudicar, ferir, magoar muito alguém que amamos. Mas sendo o contrário, foda-se tudo e tratemos de ser felizes...

laisa disse...

Nada como uma vez ou outra esquecer a tal razão e dar um tempo, por menor que seja para viver somente a emoção. Isso faz bem, rejuvenesce, alegra a vida, acelera o coração, alimenta a alma. Aumenta nossa auto-estima, massageia nosso ego. A gente se sente gente, se valoriza e se ama....
verdade neh as vezes é necessario agir com emoção..mais outras vezes a razão teima em prevalecer.. mais deviam andar juntas mesmo.. e nada como perder a razão faz bem heheheh
saudadess isso me fez lembrar de coisas heimm hehehe
amo-te :D

Misterioso disse...

Concordo em partes é muito bom agir pela emoção, mas isso quantas vezes nos tem colocados em maus lençóis? è verdade o razão ouvi o coração que é Deus nos avisando já a emoção é a euforia do consumismo do banal esquecendo o espiritual, quantos de nós nos encontramos sempre agindo pela razão a procura da felicidade compras desvairadas e no fim cada o satisfação parece que foi tudo em vão não, emoção somente é boa sobre égide da razão.