quinta-feira, 21 de maio de 2009

Receita para curar decepção, rsss

Aprendemos a amar as pessoas. Acreditamos nelas, nos dedicamos, nos doamos, abrimos nosso coração, entregamos nosso amor.

E de repente nos deparamos com uma verdade nua e crua. Fomos iludidos, enganados, lubridiados, usados...

É incrível como as pessoas pensam que podem enganar os outros por tanto tempo.

Armam tudo, alinhavam aqui e ali, fingem, maquinam, enrolam, mascaram a verdade... se esquecem que um dia a máscara cai .

A mentira tem pernas curtas. Isso é tão claro quanto o dia.

Mas ainda existem pessoas que acham que podem se esconder uma vida inteira atrás de mentiras e mais mentiras.

Muitas vezes a gente se faz de bobo pra viver. Finge que acredita e vai levando.

Só que chega uma hora que a coisa fica tão evidente, e é tão sufocante que, o que mais queremos é desmascarar o outro.

Todo aquele sentimento de amor e respeito que tínhamos pelo outro se transforma em ressentimento.

E então conhecemos a mágoa. E a mágoa nos diminui, desperta em nós sentimentos pequenos, vingativos.

Mas como não sentir raiva, indignação? Como não desejar que o outro “morra”?

E, é a partir daí que começamos a “matar” o outro dentro de nós.

E esse processo é muito triste e doloroso. Consome nossas energias, nos desgasta.

Eu penso que ninguém tem o direito de fazer isso com a gente. De transformar o que temos de bom em algo tão ruim.

Nossa auto estima vai a zero.

Conheci uma pessoa que me disse que para matar o outro dentro de nós temos que transformá-lo num monstrinho.

Mentalmente, vamos desconfigurando o nosso príncipe encantado e tão idealizado.

Aquele ser " encantador", "divino", “maravilhoso” e “perfeito” não existirá mais.

Começemos por aleijá-lo.

Primeiro cortamos suas pernas. Depois cortamos suas mãos, seus braços. Ele já não tem mais como vir até nós, nos tocar, nos envolver.

Depois cortamos suas orelhas, perfuramos seus ouvidos. Ele já não nos ouve mais.

Arrancamos seus olhos. Nunca mais ele vai nos enxergar.

Agora já está parecendo um ET neh? Quem consegue amar um ET?!!!

Passamos a olhar para ele e a sentir pena, de tão feio que ele está, rsss

Mas ele ainda teima em falar em nossa cabeça? Então cortemos a língua dele. Pronto.

Ele não vem mais até nós, não nos ouve, nem nos enxerga mais. E nunca mais vai poder nos iludir com falsas promessas nem nos enrolar mais com tantas mentiras e blá blá blá...

Ah, e nem vai mais ousar querer nos usar mais para seu bel prazer, porque terminamos por castrá-lo também.

Mudo, cego, surdo, aleijado, impotente. É isso que ele é agora. Um “ser” horrípilante, deprimente, desprezível e....!!!

Agora é só arremessar esse ET para o espaço...

Ou melhor, para o brejo, de onde esse sapo nunca deveria ter saído....

4 comentários:

Sandra Botelho disse...

Mana...depois diz que eu que escrevo bem neh?
Não é póssivel mentir o tempo todo, enganar muito menos.
E assim seguimos, vencendo a dor, e nos entregando de novo a um novo amor.
Bjos mana

laisa disse...

nossaaa vc disse tudo ai heimmm
mto prondundo neh e a mais pura verdade...
é dolorido, mais passageiro.... eu que o diga heheh
saudadess lindaa
:*

Anônimo disse...

Uau

Debora Paz disse...

Nossa você descreveu tudo o que estou vivendo. Parabens pela sensibilidade, vou superar.